Buscar
  • Roberta Pamplona

Mestrado e Doutorado sanduíche no Canadá com bolsa

Atualizado: 4 de Set de 2020

Uma das melhores formas de decidir se queremos ou não estudar fora do Brasil é a possibilidade de passar um curto período no exterior. Em 2018, quando eu iniciei meu mestrado em Sociologia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), eu já considerava realizar meu doutorado no exterior, mas tinha algumas dúvidas: o funcionamento da pós-graduação em outros países, como são as relações com os docentes e, finalmente, se eu seria capaz de participar das discussões no nível de doutorado com uma formação prévia no Brasil. A possibilidade de passar um semestre como pesquisadora visitante na Universidade de Toronto, financiada pelo programa Emerging Leaders in the Americas Program (ELAP), foi essencial para a decisão de realizar meu doutorado no Canadá.

O que é a ELAP?

O ELAP é um programa criado pelo governo canadense para “apoiar o desenvolvimento do capital humano e a próxima geração de líderes nas Américas, ao mesmo tempo em que busca fortalecer os vínculos entre instituições de pesquisa no Canadá, América Latina e Caribe”. Ainda que a bolsa seja para alunos em qualquer nível de formação superior, há diferenças no processo de aplicação para a bolsa entre alunos da graduação e da pós-graduação. No caso de alunos da graduação, é necessário um acordo prévio entre as Universidades. Por isso, neste post, vou focar no caso de alunos de pós-graduação em que não há necessidade de acordo. Importante lembrar que o ELAP financia alunos de doutorado. Assim, é uma ótima possibilidade para a realização de período sanduíche nos casos de quem já está cursando o doutorado no Brasil neste momento.

Quem pode aplicar?

Os critérios de elegibilidade para a bolsa ELAP são simples: basta estar matriculado em algum programa de pós-graduação no Brasil, não possuir outra bolsa do governo canadense e não ter cidadania ou residência canadense. A principal vantagem da bolsa é que não precisa de acordo prévio entre os Programas/Universidades ou entre os orientadores. A aluna tem total liberdade para escolher para qual Universidade tentará sua candidatura. O edital do ELAP é lançado em novembro/dezembro, e o prazo final para a aplicação geralmente expira em março do ano seguinte. Os candidatos selecionados podem ir para o Canadá entre Setembro e Fevereiro para ficar de 4 a 6 meses. O valor da bolsa varia de acordo com o seu período de estadia.

Como aplicar?

Para iniciar o processo de aplicação para o ELAP, é preciso encontrar uma orientadora para o seu projeto. Eu iniciei, em novembro de 2018, um mapeamento de possíveis professores na Sociologia que tivessem pesquisas similares com a minha. No meu caso, eu escolhi duas professoras: uma da Universidade de Toronto e uma da Universidade McGill. Enviei um e-mail com um currículo no formato tabular em inglês, um resumo de duas páginas da minha pesquisa do Mestrado em inglês, e uma carta da minha orientadora aqui no Brasil. Ainda, no corpo do e-mail, eu expliquei sobre o funcionamento da bolsa ELAP e os motivos pelos quais eu gostaria de passar um período no exterior. A primeira Professora não respondeu meu e-mail. Pela minha experiência, isso é bem incomum. A imensa maioria dos Professores para quem eu mandei e-mails me respondeu de forma direta e interessada. O professor da Universidade de Toronto respondeu em dois dias perguntando o que seria necessário para eu aplicar.

Após o contato com o potencial orientador, é preciso dialogar com o setor da Universidade responsável por gerenciar as inscrições do ELAP. Isso porque cada Universidade tem autonomia para decidir como será a sua inscrição. Na Universidade de Toronto, por exemplo, o prazo para o envio da documentação é anterior ao prazo final que consta no site do ELAP. O setor responsável é o Centro de Experiência Internacional. Eles solicitaram alguns documentos, mas o principal documento é a carta de intenções do candidato. A carta serve para apresentar seu projeto de pesquisa e demonstrar os motivos que te levaram a escolher a instituição ou o orientador para realizar essa pesquisa. Além disso, também foi solicitado uma carta da minha instituição de origem confirmando que eu retornaria para defender a dissertação de mestrado, uma carta do meu potencial orientador no Canadá, demonstrando que ele apoiava minha pesquisa, e meu currículo. Esses documentos foram enviados em março de 2019. O resultado final foi anunciado apenas dia 24 de junho. Eu embarquei para o Canadá final de agosto de 2019.

Como foi minha experiência?

Em meu período na Universidade de Toronto, participei como aluna ouvinte de duas disciplinas, o que me permitiu conhecer alunas do Programa de Doutorado e ter contato com o formato das aulas. Também tive a oportunidade de discutir minha pesquisa com outras Professoras do Departamento além do meu orientador. Ter passado esse tempo na Universidade de Toronto como aluna de intercâmbio no mestrado em 2019 contribuiu muito para a minha aceitação no doutorado no mesmo programa, que vou começar em Setembro de 2020.

Existem outros programas como o ELAP?

Por fim, vale lembrar que o Canadá possui outros programas para estada de curta duração em suas Universidades e centros de pesquisa, como o Mitacs, que são ótimas oportunidades para sentir o gostinho de estudar fora do Brasil.

888 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo